domingo, 1 de fevereiro de 2009

MÁRTIRES DA PÁTRIA _vítimas de ódio republicanos (carbonários e maçons)

Lisboa, 1 de Fevereiro de 1908

Conspiração de criminosos republicanos entre os quais Aquilino Ribeiro (maçon), foi Manuel Buiça o regicida (carbonário) que alvejou de forma mortal, o
CHEFE DE ESTADO

Sua Alteza Real o Rei Dom Carlos I e o Principe Dom Luis Filipe
Pelas quatro horas da tarde, do mesmo dia, Manuel Buíça com Domingos Ribeiro e José Maria Nunes, posiciona-se no Terreiro do Paço, perto da estátua de D. José, ficando o primeiro perto duma árvore, frente ao Ministério do Reino, junto a um quiosque.
Alfredo Costa, Fabrício de Lemos e Ximenes assumem posições debaixo da arcada do mesmo ministério, os seis aguardam a chegada do monarca, misturados com a população que espera o desembarque da família real, acompanham atentamente a atracagem do navio a vapor, D. Luís, onde seguia a mesma.
Sensivelmente às cinco horas e vinte minutos, Manuel Buíça, avançando da placa central do Terreiro do Paço, a cinco ou oito metros de distância do landau régio, descobre a carabina, assenta um joelho em terra e abre fogo à retaguarda do mesmo, atingindo o rei no pescoço, partindo-lhe a coluna vertebral, que o vitima instantaneamente, não o sabendo Buíça alveja o rei uma segunda vez, desta feita, no ombro esquerdo. No príncipe-herdeiro também é desfechado um projéctil, que lhe atravessa a face esquerda, saindo-lhe pela nuca.
Finalmente, o Tenente Figueira, que escoltava o landau real, abate Manuel Buíça com uma estocada, não sem antes ser ainda atingido por este numa coxa.
Depois de morto, o seu cadáver é alvejado, trespassado e pisoteado, no Terreiro do Paço e no Arsenal, para onde é levado.
http://pt.wikipedia.org/